ÁGAPE

O amor é como os lírios espalhados pelo campo, com as suas beatíficas pétalas resplandecendo a luz da vida, que doa a sua glória para contemplar a pureza deles. As colinas ao longo do monte trazem esperança e as ondas do mar fazem nossa alma estremecer de insignificância perante Deus, mas o amor nos aproxima dEle e a sua essência permite um respirar sereno e um viver belo. A discrepância da sorte sucumbe na sintonia do amor, que destila seu encanto e infinidade ao longo do nosso limitado entendimento. Vivê-lo é temível como o mundo inteiro olhando para você, discordando do seu jeito manso e passivo de ser.
Como o sino que soa ao alto de uma torre, o amor deve soar seus cânticos estonteantes, mas não se deixando esvair com o desfalecer do som, levando suas magnitudes e belezas pelos ares tempestuosos da terra. As pessoas inalam injustiça, intolerância, grandezas, mentiras e maldades, permitindo, desta forma, que seus pulmões trabalhem dificultosa e despretensiosamente. A pretensão do amor é fazer sorrir, se alegrar com a verdade e regozijar-se com a justiça. Sem muitos alardes, ele voa nos cumes das montanhas da vida, pousando em cada um deles, deixando, desta forma, suas benevolências e empurrões à vida.
A aurora traz renovo, o despertar dos olhos uma nova esperança e o crepúsculo o final do ciclo. Este, por sua vez, remete-nos a tantos outros ocasos vividos e sonhos quebrados, pela falta de prática de tentá-los. A soma destas três acepções volta-se ao amor, pois com o seu nascer nós acordamos e voltamos a ter esperança, não se esquecendo de adormecer e repousar nas vias eternas dele. O final do ciclo nem sempre é o fim, depende do que se faz anteriormente a ele. Se plantarmos laranjas, teremos uma laranjeira, se maçã, colheremo-las numa macieira. A plantação do amor tem colheita fértil e satisfatória, pois alimenta a alma e mantém Deus mais próximo.
Se ainda houver dúvidas quanto a veracidade do amor, as almas céticas devem ser lavadas e restauradas para uma nova vida. Largue as mãos imundas que lhes conduzem pela vida, agarre, pois, as mãos da verdade e do renovo. Mudar é necessário e fazê-lo pode trazer grandes impossíveis na sua frente, que se tornarão possíveis pela nova força que habita em você.

PS: Dedico este texto à Isabella, que pediu pra eu falar sobre a amizade. Como a verdadeira amizade é o amor, creio que está valendo. Dedico também ao meu amigo José, de Minhas Gerais, que o lerá numa palestra aos voluntários que trabalham com crianças, jovens e idosos carentes.
Acima de tudo, quero dedicar a VOCÊ, leitor.
Deus, obrigado pela oportunidade.

6 comentários:

Anônimo disse...

Profundo e singelo. Num jogo perfeito de palavras deixa transparecer a alma do autor. O texto exala o perfume inebriante de uma alma capaz de amar e reflete a profundidade do tema tão gasto pelo uso corriqueiro do vocábulo AMOR.
Parabéns, amigo.
José - MG

Fernanda disse...

As almas céticas devem ser lavadas... que linda imagem. Compreender o amor-ágape em sua essência não deixa de ser verdadeiro Omo para o coração. :-) Tudo se transforma. Beijos e sucesso!

Lucas D.F. disse...

concordo....

http://meninos-cor-de-rosa.blogspot.com/

Rock. disse...

Todos nós precisamos de amor
E se cada um manifestar um ato de carinho vamos mudar bastante coisa que anda errada

David Maicon disse...

Parabéns pelo blog! Seus textos são de uma qualidade rara, apesar de sua pouca idade.
Acabo de criar o meu humilde blog. Faz uma visita lá quando der e comente, pois sua opinião será bem vinda. http://soseiquevejo.blogspot.com/
Ah, to seguindo. Abços

David Maicon disse...

Vim agradecer o comentário, amigo.
É muito bom quando entendem o que agente quer passar. Vlw msm.
Por: http://soseiquevejo.blogspot.com/

Postar um comentário

- Comente algo com relação ao tópico.
- Não use palavras ofensivas para qualquer comentário.
- Respeite os outros usuários
* Bom comentário :)